Em mais um crime, Bolsonaro divulga falsa cura para o Coronavírus


O que falta para a interdição do fascista que ocupa a presidência da república (em caixa baixa porque nesse momento não merece as maiúsculas)?


Essa tarde, o irresponsável eleito em 2018 divulgou um vídeo em suas redes sociais falando sobre o mesmo remédio que outro irresponsável, o presidente dos EUA, Donald Trump, está anunciando como se fosse a solução da epidemia. “Tenhamos fé que brevemente ficaremos livres desse vírus”, disse, criminosamente, Jair Bolsonaro. Acontece que o tal medicamento “milagroso”, à base da hidroxicloroquina, é essencial no tratamento de malária, lúpus, artrite e outras doenças, sendo necessário para uso contínuo em determinados pacientes, que já não o encontram nas farmácias.



Mas a loucura não para por aí. Não há ainda estudos que comprovem a eficácia dessa medicação contra a Covid-19. No vídeo, intitulado “Hospital Albert Einstein e a possível cura dos pacientes com Covid-19”, o insano diz que ordenou ao exército que produza o medicamento como resultado de pesquisas do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Contudo, apesar de dizer que foi assinado um “protocolo de pesquisa”, ele não informa a população que esse tipo de atividade pode levar meses ou mesmo anos até que se tenha uma ideia mais clara se o remédio é realmente efetivo ou não. O próprio Hospital Albert Einstein esclareceu esse ponto durante a tarde em nota à imprensa e o Conselho Nacional de Justiça repassou a juízes em todo o Brasil um estudo do Hospital Sírio Libanês, concluindo que a eficácia do remédio é incerta, para amparar os tribunais no caso de pedidos de liminares para compra.



A insensatez e falta de comando na presidência é tão grande, que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, órgão supostamente subordinado ao Ministério da Saúde, foi obrigada a desmentir o maluco. Pior, o secretário-executivo da pasta, João Gabbardo, teve de fazer um pronunciamento, difundido pelas redes de TV, para dizer que a Anvisa estava bloqueando a comercialização sem receita do medicamento. “Ninguém vai poder tirar da farmácia para guardar para usar contra o coronavírus. Primeiro, esse medicamento tem uma série de efeitos colaterais graves. Obviamente ele só pode ser usados com prescrição médica e o paciente tendo consciência do risco que ele tem.”


O fato é que a Presidência do Brasil está vaga. Não há um comando nacional nem uma articulação entre os órgãos federais de governo em nenhum nível. A prova é a imagem que abre essa matéria. Com o Secretário de Comunicação do Planalto doente de Covid-19, o primeiro dos 23 contaminados na comitiva que fez a visita oficial a Trump há duas semanas, o vídeo divulgado nas redes sociais da familícia foi gravado nos jardins da residência oficial, pelos filhos do sujeito. De bermudas e sandálias, com os rebentos sem camisa e nenhuma proteção contra o vírus à vista, todos se divertiam no sol enquanto provavelmente se preparavam para a festinha de aniversário do imbecil que a essa hora deve estar desrespeitando todas as recomendações da Organização Mundial de Saúde e de seu próprio ministério.



Nenhuma palavra de consolo às famílias dos quase 20 brasileiros mortos pela Covid-19 nos últimos dias. Nenhuma recomendação de isolamento e proteção individual ao restante da população. Nenhuma orientação sobre articulação entre os poderes e os governos estaduais e municipais para o enfrentamento da pior pandemia global desde Gripe Espanhola, em 1918. O que falta para a interdição do fascista que ocupa a presidência da república?

Link original da matéria (https://jornalistaslivres.org/em-mais-um-crime-bolsonaro-divulga-falsa-cura-para-o-coronavirus/)

Posts em Destaque
Posts Recentes